Atividade em Florianópolis

publicado 15/05/2019 16h37, última modificação 11/06/2019 10h02

A Rede de Capacitação de Refugiados e Migrantes ofereceu , entre 5 e 7 de junho, em Florianópolis (SC), treinamentos aos atores envolvidos no acolhimento, na integração e na interiorização de refugiados e migrantes em Santa Catarina. Foram realizados um simpósio, uma mesa-redonda e dez minicursos e oficinas, totalizando 622 participações

Acesse o material e as fotos do simpósio, da mesa redonda e das atividades de formação

Durante três dias, representantes da sociedade civil organizada, pesquisadores, migrantes, refugiados e servidores públicos de Florianópolis pediram às autoridades regionais e locais reforços nas políticas públicas voltadas a refugiados e migrantes que vivem em Santa Catarina. Segundo dados da Polícia Federal (PF), o Estado possui 8% dos registros de permanência de imigrantes no Brasil; é o segundo que mais emprega migrante com carteira assinada; e, em 2017, tornou-se a quarta unidade da federação em registro de solicitação de refúgio em 2017 (3% do total nacional).   

As atividades foram voltadas para refugiados e migrantes; integrantes de comitês de acolhida e de grupos de trabalho sobre empregabilidade; gestores e equipes de abrigos; servidores públicos; membros de organizações da sociedade civil envolvidas com a temática; estudantes e jornalistas. Confira cobertura

Simpósio – O Simpósio “Refugiados e Migrantes em Santa Catarina: Como Acolher e Integrar?" aconteceu na manhã do dia 6 de junho. Na primeira parte do encontro foram apresentados os contextos global e local do fenômeno migratório. Também foi discutida a política nacional e os desafios de sua implementação e realizado debate sobre as experiências locais na atenção a migrantes e refugiados.  

Mesa-redonda – Na noite do dia 6 de junho, a mesa redonda “Migração, Racismo e Xenofobia em Santa Catarina” promoveu o diálogo sobre o racismo, a xenofobia e a islamofobia com o objetivo de provocar a reflexão coletiva sobre as realidades vividas pelas populações refugiadas e imigrantes no Estado. Participaram da conversa debatedores representantes dos migrantes, do poder público e da sociedade civil organizada envolvidas com a temática. 

Atividades temáticas – Entre os dias 5 e 7 de junho, aconteceram onze atividades temáticas, divididas entre minicursos e oficinas.  Entre os assuntos abordados estavam imprensa no Combate à Xenofobia; gênero; direitos humanos; como influenciar a formulação de políticas públicas  e legislações na temática migratória; nova Lei de Migração e Lei do Refúgio; direitos e acesso à justiça; gestão migratória em nível local; direitos Laborais; migração e saúde mental; crianças migrantes; integração local; e mapeamento territorial e articulação de rede. 

Para a organização das atividades em Florianópolis, a Rede de Capacitação a Refugiados e Migrantes contou com o apoio do Ministério Público Federal, do Ministério Público do Trabalho e da Defensoria Pública da União em Santa Catarina, da Justiça Federal de Santa Catarina e de instituições públicas e organizações não governamentais envolvidas no processo de atenção ao refugiado ou migrante.