Atividade em Belém

publicado 11/07/2018 19h12, última modificação 14/05/2019 16h14

A Rede de Capacitação a Refugiados e Migrantes realizou, entre os dias 24 e 26 de julho, em Belém (PA), as primeiras atividades do Projeto "Atuação em rede: capacitação dos atores envolvidos no acolhimento, integração e interiorização de refugiados e migrantes no Brasil". Durante três dias, foram realizados um simpósio aberto ao público e seis oficinas formativas com públicos direcionados. 

Acesse aqui as apresentações realizadas no encontro. 

Os encontros buscaram fomentar a discussão em torno da necessidade de se estabelecer uma política local de integração para refugiados e migrantes e capacitar os atores envolvidos no acolhimento, integração e interiorização de refugiados e migrantes no Brasil. Eles contaram com a participação de integrantes de comitês de refugiados e migrantes; comitês de acolhida; grupos de trabalho sobre empregabilidade; gestores e equipes de abrigos; servidores públicos; organizações da sociedade civil envolvidas no acolhimento, no abrigamento e na integração de refugiados e migrantes; jornalistas e estudantes.  

Os eventos foram realizados pela Rede de Capacitação a Refugiados e Migrantes em parceria com o comitê realizador local - Procuradoria da República no Pará, Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública da União, Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Pará, instituições públicas e organizações não governamentais que atuam na área. 

Simpósio 

O Simpósio Refugiados e Migrantes no Pará: como acolher e integrar? aconteceu no auditório da Escola de Governança do Estado do Pará (Av. Nazaré, 871, Bairro Nazaré, Belém), na manhã do dia 25 de julho.  

O encontro foi dividido em três momentos. Na primeira parte, houve uma explanação sobre a nova Lei de Migração, a Lei do Refúgio e a regulamentação do art. 120, que trata da construção da Política Nacional de Migrações, Refúgio e Apátridas com participação da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, organizações da sociedade civil, organismos internacionais e entidades privadas. 

Posteriormente, foram abordados os direitos dos migrantes e houve troca de experiências e boas práticas. Foram apresentados o processo de formulação legislativa e implantação da política de migração em São Paulo; o trabalho de humanização realizado pela Cáritas no Pará; o trabalho de atendimento/acolhimento realizado em Santarém (PA); e o projeto de educação realizado em Belém (PA).

Por fim, houve diálogo com a platéia sobre a necessidade de construção de políticas de integração para refugiados e migrantes no Estado do Pará. Saiba mais.

Oficinas 

Durante três dias,  aconteceram  seis oficinas formativas para públicos direcionados. No dia 24 de julho, foram realizadas as oficinas "Imprensa no combate à xenofobia contra refugiados e migrantes"e "Media Training para atores envolvidos no acolhimento e integração de refugiados e migrante" (clique para conferir a cobertura). No dia seguinte, houve as oficinas “Política para Refugiados e Migrantes e Empoderamento da Sociedade Civil” e “Atenção a Refugiados e Migrantes em situação de rua e Abrigamento”. No dia 26 de julho, último dia, aconteceram as oficinas “Conselhos Tutelares e Criança e Adolescentes” e “Inserção Laboral”.